Imposição da fé como política pública: comunidades terapêuticas no Rio de Janeiro

Abstinência, isolamento social e rotina religiosa como “tratamento”. Esse é o cenário das comunidades terapêuticas (CTs), como mostra a nova pesquisa do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC), “Imposição da fé como política pública: comunidades terapêuticas no Rio de Janeiro”, lançada nesta segunda-feira (25), às 5AM. Com apoio do Estado, essas entidades privadas são financiadas por recursos públicos e administradas em sua maioria por lideranças de igrejas, sobretudo evangélicas. Hoje, as CTs representam o maior investimento do Governo Federal para o tratamento do uso problemático de drogas. Como mostra o estudo, é o dinheiro público financiando a violação de direitos humanos, incluindo a liberdade de pensamento e crença. 

Texto completo

Mais Boletins